Asdapi Sindical Apoia Paralisação Nacional Contra a Reforma da Previdência

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário

Dia 28 de Abril 2017 – Paralisação Nacional Contra a Reforma da Presidência

| Deixe um comentário

Unafa reúne representantes de todos os estados para discutir rumos da carreira de fiscal agropecuário

Nos dias 18, 19 e 20 de abril, a União Nacional dos Fiscais Agropecuários (Unafa) realizou uma reunião com dirigentes sindicais de todo o país, entre eles representante do SINDAFA/MG. O objetivo do encontro foi discutir a fundação de uma federação nacional da categoria e assuntos em pautas no cenário nacionais, como a reforma da previdência, trabalhista e o desmonte da carreira por meio da terceirização da inspeção agropecuária.

A reunião foi realizada na sede da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB) e contou com a participação de diretores da entidade. O diretor de Assuntos Legislativo da CSPB falou sobre a necessidade de combater a agenda de retrocesso em curso no País. “Nós viemos do Congresso agora de uma audiência que está deliberando a Reforma Trabalhista. Vocês estão, neste momento, pleiteando se organizarem em uma federação nacional que corre risco de nascer morta. Precisamos reagir à esta agenda de retrocessos sob pena que desaparecermos enquanto representantes e lideranças sindicais. ”

Outro representante da entidade que falou na reunião foi o secretário-geral Lineu Mazano, que reforçou a necessidade de união e mobilização dos fiscais agropecuários e deu apoio, por meio da CSPB, as ações iniciadas pela classe. “É preciso manter o ímpeto de luta, de combate aos retrocessos, de maneira a estar à altura aos enormes desafios que estão impondo à classe trabalhadora do setor público e privado. Estão no caminho de uma reforma administrativa com poder de enterrar o instituto do concurso público. Privatizações e terceirizações estão na agenda econômica e política do país. A CSPB apoia toda e qualquer iniciativa pelo fortalecimento do estado e pela consolidação de preceitos democráticos. ”

Ainda durante a reunião os dirigentes estaduais puderam participar de uma palestra sobre origem, composição e acúmulo da dívida pública do Brasil.  Ministrada pela coordenadora nacional da Auditoria Cidadã, Mária Lúcia Fattorelli, a apresentação mostrou os detalhes da formação de um sistema criminoso desvia quase metade do orçamento da União.

http://www.sindafamg.com.br/unafa-reune-representantes-de-todos-os-estados-para-discutir-rumos-da-carreira-de-fiscal-agropecuario/

| Deixe um comentário

AVISO DE PARALISAÇÃO

A Diretoria da ASDAPI Sindical convoca a todos os seus Associados que a partir dessa próxima Quarta, dia 12/04/2017. Participe das paralisações semanais. Tais manifestações se dará pelo não cumprimento por parte do Governo dos acordos realizados com a categoria. Entre eles envio do PCCV para aprovação na ALEPI, melhoria das Péssimas Condições de Trabalho, Pagamento das Gratificações de Coordenadores e Plantonistas de PVA, Regularização da alimentação dos Plantonistas, dentre outras. Orienta também a seus associados bater o Ponto, colocar o aviso nas USAVs, EACs e PVAs correspondente ao seu local de Trabalho e permanecer no local orientando os criadores e a população em Geral, além de procurar as Mídias locais como Blogs, Rádios, Jornais e TVs para a Divulgação do Movimento.

Esse Ciclo de Paralisações se dará conforme decidido em última Assembleia e ocorrerá até a próxima Assembleia a ser realizada no início de Maio.

Temos que sair do Estado de Reclamação para o de Mobilização. Quem não luta por seus direitos não é digno dele!

Gregório da Silva Costa Júnior

Presidente da ASDAPI Sindical

ASDAPI Documento protocolado paralisação

| 3 Comentários

Agrofesa dá início à organização da Cosalfa 2017

O presidente da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) Arthur Toledo deu início às reuniões de trabalho com os membros do Centro Panamericano de Febre Aftosa (Panaftosa) para discutir detalhes da realização da Comissão Sul-Americana para a Luta Contra a Febre Aftosa (Cosalfa) 2017 que, pela primeira vez, será realizada em Goiás. A primeira reunião com o grupo foi no início deste mês no Rio de Janeiro e, na manhã de ontem, os organizadores voltaram a se reunir, desta vez em Goiás.

Além da Agrodefesa e da Panaftosa, também faz parte da comissão organizadora do evento o Fundo para o Desenvolvimento da Pecuária em Goiás (Fundepec). A próxima Cosalfa será realizado no primeiro semestre de 2017 e espera reunir 13 países da América do Sul além de outras regiões.

Sobre a Cosalfa

A Cosalfa é formada por 26 representantes de 13 países do continente americano, sendo um representante do setor público, um diretor do Serviço Veterinário Oficial, e um do setor privado, o que representa a maior associação nacional de produtores de gado. Os 13 países são: Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Panamá, Paraguai, Peru, Suriname, Venezuela e Uruguai.

Representantes de outras áreas afetadas pelo tema também participam das reuniões da Cosalfa, incluindo os serviços veterinários oficiais, organizações de produtores de gado, a indústria de produtos de origem animal, a indústria farmacêutica veterinária, laboratórios de diagnóstico, universidades, instituições de pesquisa e nacional e internacional, agências de cooperação técnica, entre outros.

O objetivo da Cosalfa é avaliar o progresso alcançado pelos programas nacionais de controle da febre aftosa e de erradicação da América do Sul, e recomendar ações para estes programas, garantindo assim a integração regional de ações de intervenção.

Texto: Leydiane Alves – Assessoria de Imprensa da Agrodefesa

http://www.agrodefesa.go.gov.br/post/ver/216578/http:–www.agrodefesa.go.gov.br-

| Deixe um comentário

Reunião com o Governo sobre o Plano de Cargo e Salário dos Servidores da Adapi (PCCV)

Os representantes da ASDAPI Sindical estiveram reunidos pela manhã com o representante do governo do estado o senhor Renato Lelis, para proceder as alterações pedidas pelo Governador.

Alguns pontos foram discutidos como segue a seguir:

Ressaltamos que foram alterados os artigos;

Art. 31, V (incluir inciso V, para fazer constar maior nota na última avaliação de desempenho nos requisitos da seleção de remoção interna);

Art. 38, caput (incluir produtores rurais na comissão paritária que estabelecerão as metas para recebimento da produtividade), e;

Art. 40, § 4° (aumentar a porcentagem máxima do abono atividade).

Não houve alterações e/ou pedidos de alteração de nossa parte. O projeto continua como foi fechado na última reunião da comissão, a não ser pelas modificações impostas pelo governador.O mesmo comprometeu-se com o prazo de  até Abril do respectivo ano  aprovar o pccv.

O representante do governo o Sr Renato Lelis, sugeriu a retirada da gratificação de interiorização que conta no nosso plano, mas nós da ASDAPI sindical em conversas com a direção da ADAPI, conseguimos convence-los da necessidade de tal benefício e os mesmo  irão defender junto ao governador que não retire a interiorização do projeto.

Estiveram presentes os senhores:

Gregório, Renato, Karlyson, Wilson e Dario.

Teresina-PI, 20 de Fevereiro de 2017.

| Deixe um comentário

Vacina contra a febre aftosa terá retirada gradualmente do cronograma brasileiro

Governo deve apresentar as mudanças na reunião da Comissão Sul-Americana para a Luta Contra a Febre Aftosa

aftosa

O ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), deverá anunciar na reunião da Comissão Sul-Americana para a Luta Contra a Febre Aftosa (Cosalfa) 2017, o cronograma da mudança da vacina contra a febre aftosa e maiores detalhes da retirada gradual da vacinação no país, com a apresentação das ações que serão adotadas para isto. A reunião da Cosalfa será realizada entre 3 e 7 de abril, em Pirenópolis (GO). O Mapa trabalha com a possibilidade de retirar a vacinação de 80 milhões de cabeças a partir de novembro de 2018.

O diretor do Departamento de Saúde Animal do ministério, Guilherme Marques, destaca que “a reunião será um divisor de águas pela sinalização que o Brasil vai dar de que é possível a retirada da vacinação  e que outros países  vizinhos utilizem a estratégia, desde que tenham condição sanitária para tanto”. Além do Brasil, são integrantes da Comissão Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Panamá, Paraguai, Peru, Suriname, Venezuela e Uruguai.

Retirada gradual da vacina

Segundo informações divulgadas pelo Mapa, na terça-feira, Guilherme Marques reuniu-se com representantes dos fabricantes de vacinas e com integrantes das áreas do ministério ligadas à questão, a de insumos pecuários (Departamento de Fiscalização de Insumos Pecuários, DFIP) e de laboratórios (Coordenação Geral de Laboratórios Agropecuários, Cegal), para receber sugestões de como fazer a mudança do tipo da vacina e de prazos compatíveis para retirada gradual da vacinação.

Segundo o diretor Guilherme Marques, “a retirada da vacinação está decidida, o que é preciso agora é definir como e quando será realizada”. E, para isso, serão promovidas reuniões no país com todos os integrantes da  cadeia produtiva. “Não haverá surpresas, tudo será feito de maneira organizada e tecnicamente defensável, respeitando também a situação sanitária dos estados”, afirmou.

Alterações

Marques explicou que, primeiro a vacina será modificada, pois será retirado o vírus “C” (inativado) da composição do produto, que foi erradicado há mais de 13 anos na região, não sendo mais necessária imunização. A retirada do vírus C é possível e viável na avaliação do diretor do departamento. Atualmente o produto é trivalente e protege o rebanho dos vírus A, C e O. Em 2018, o produto será bivalente contendo apenas as cepas A e O. Com isso, a dose do produto também deverá diminuir de 5 ml para 2 ml, sem perder qualidade e com os antígenos (substância que provoca a produção de anticorpos, ativando o sistema de defesa do organismo) necessários à manutenção da erradicação da doença.

Ele disse que todo estoque da trivalente poderá ser totalmente utilizado. “Estamos em uma posição muito confortável, tanto pela inexistência de circulação de vírus da aftosa, no país e na região ( países que integram a Comissão), quanto à resposta imunológica alta dos nossos rebanhos, o que viabiliza mudanças na vacina, além da retirada gradativa do produto”, completou o diretor.

Benefícios da nova vacina

Com a nova vacina, Marques prevê redução no custo do transporte, no armazenamento e na conservação das doses, tanto no processo de fabricação e distribuição, quanto na comercialização. Também haverá menor gasto com o manejo nas propriedades e menos reações nos animais, como os eventuais caroços no couro, que podem provocar perda de até 2 quilos na toalete (preparação dos cortes).

http://sfagro.uol.com.br/vacina-contra-febre-aftosa-sera-retirada-do-cronograma-brasileiro/

| Deixe um comentário